• Daniela Ventura

[exercício criativo] Jogos Poéticos


Há quem diga que o cérebro é como um museu onde há infinitas salas e mais salas, cheias de imagens distorcidas. Encontrar o seu significado nem sempre é fácil. Desta forma, pode ser útil usar técnicas para capturar significados, encontrar a ordem e a calma no meio do caos.


Abaixo, proponho dois exercícios - ambos ligados arte da poesia. Para começarem, acendam uma vela no vosso espaço de trabalho (dizem que a sua chama é um óptimo método de meditação criativa), ponham em prática os vossos rituais e "mãos à obra"!


Poemas por associação


Hughes explorou um método fantástico, cujo objectivo era contribuir para o desenvolvimento do pensamento criativo e metafórico, no qual usou sistemas de memórias e Mapas Mentais. Conceitos como os de Associação e Imaginação tomaram lugar em muitos dos seus exercícios. Vamos explorar um deles:


1) Escolhe um par destes conjuntos de palavras díspares:

pai - relva

milho - avião

rei - farejar

2) Pensa em dez palavras para cada uma das palavras do teu par (vinte, no total - dez relacionadas com cada uma);

3) Escolham uma palavra de um dos pares e criem associações entre elas e as dez palavras do par seguinte (podem fazê-lo em formato de mapa mental);

4) Repitam o processo com todas as palavras do primeiro conceito - associando-as, uma por uma, às dez palavras do segundo conceito;

5) Seleccionem as melhores ideias/associações e elaborem, a partir delas, um poema.



Haiku japonês


O Haiku é um pequeno poema que consiste na exploração de um conceito, objecto ou emoção de uma forma simples, mas profunda, sob uma nova perspectiva - mais intensa. Inspirado na emoção do momento, na surpresa e na nossa conexão com a natureza.


Para a cultura japonesa, este sempre foi o canal de expressão e liberação emocional para que, contemplados pela calma da natureza, encontremos uma maneira de ceder e escapar à tristeza, saudade ou infelicidade.


Como o Dr. Epstein diz: “um bom Haiku faz maravilhas a uma alma cansada”.

Algumas características do haiku:

  1. São poemas curtos formados por três versos de 5, 7 e 5 sílabas (a métrica ideal do haiku é de 5 sílabas na primeira linha, 7 na segunda e 5 na terceira);

  2. Não têm rima ou título;

  3. A ideia é a de capturar uma imagem estática, uma emoção;

  4. O verbo “ser” não deve ser incluído;

  5. A regra é a simplicidade;

  6. Geralmente, é incluído um “kigo” - ou seja, uma referência à natureza ou à estação em que nos encontramos;

  7. Os haikus mais bonitos são aqueles que fazem o salto para o terceiro verso, onde os dois primeiros fazem uma introdução simples para deixar que a última impressão seja a mais forte.

Um Haiku exige intimidade, consciência e liberdade emocional - e, por isso, é algo privado, algo que pertence somente a nós. Este é um canal, um suspiro no qual nos expressamos.


Boas criações!

CONTACTO
  • Preto Ícone LinkedIn
  • Ícone do Instagram Preto

© 2020 por Daniela Ventura

Serviços de Comunicação